Traduzir Esta Página

Funilaria é a atividade de moldar chapas metálicas. Esse tipo de trabalho também é conhecido no Brasil como latoaria ou lanternagem. Em séculos anteriores, as moldagens de chapas mais comuns eram as de peças para alambiques, incluindo uma peça chamada funil, e de lanternas de iluminação. Daí surgiram os termos funilaria e lanternagem.

Com o advento do automóvel, e a necessidade de reparar sua lataria, funileiros ou lanterneiros ganharam um novo e enorme mercado. E esses termos acabaram se associando ao reparo da lataria de automóveis.

Assim, Funilaria e Pintura é a atividade de reparar a lataria do automóvel, o que inclui pintá-la.

A pintura é uma atividade associada, mas que utiliza técnicas bem distintas da funilaria. Ela envolve uma boa preparação e cuidados como evitar que ciscos e poeiras presentes no ambiente assentem sobre as peças, que resíduos de tinta pulverizada se espalhem no ar e que mínimas variações da tonalidade ocorram.

A demanda por esses serviços é diretamente proporcional à frota de automóveis. No Brasil a procura por esses serviços só tem aumentado, assim como sua frota de automóveis.

Uma evolução do mercado foi o surgimento das parcerias das funilarias com as seguradoras de automóveis, que hoje representam expressiva parte do mercado. Elas contratam e pagam as funilarias diretamente. Ao levarem um maior volume de serviços para uma funilaria, negociam preços mais baixos. Isso pode ser bom para as duas partes, mas exige atenção da funilaria para não ficar dependente de uma ou outra seguradora. Cientes dessa dependência, as seguradoras podem pressionar por preços excessivamente baixos que inviabilizam a funilaria.

Por fim, valer ressaltar que o brasileiro tem um nível de exigência maduro em relação aos serviços automobilísticos. Com isso, exige serviços de qualidade no trato de uma das suas maiores paixões, seu automóvel.

Mercado


O mercado de funilaria e pintura está passando ao longo das últimas décadas por um avanço bastaste considerável, haja vista que o número de automóveis dentro do país chegou a níveis históricos. As baixas taxas de juros, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados e a boa fase da economia do país serviram de grandes incentivos para que o brasileiro adquirisse mais carros do que nunca. Segundo dados do DENATRAN, o tamanho da frota do Brasil até março de 2013 é de 77.359.350 veículos, distribuídos da seguinte maneira: Norte 3.653.786 Nordeste 12.201.073 Sudeste 38.800.954 Sul 15.627.762 Centro-oeste 7.064.772 Total 77.359.350 Fonte: Ministério das Cidades, Departamento Nacional de Trânsito - DENATRAN, Sistema Nacional de Registro de Veículos/RENAVAM, RENAEST - Registro Nacional de estatísticas e acidentes de trânsito A frota no Brasil aumentou 115% nos últimos dez anos, pois em março de 2003 a frota era de apenas 36.090.450. Com esse grande número de automóveis em circulação, a quantidade de esbarrões, batidas e acidentes é elevada. Consequentemente, a demanda de serviços de funilaria e pintura também aumenta.  O Brasil registra anualmente 1,5 milhões de acidentes, que envolve aproximadamente 7,5 milhões de pessoas no período de um ano. De acordo com dados fornecidos pelo RENAEST – Registro Nacional de Estatísticas e Acidentes de Trânsito, são 4.100 acidentes por dia, 170 acidentes por hora e 3 acidentes por minuto. Considerando o contratante direto, o público principal da funilaria e pintura é: • Seguradoras; • Revendedoras de veículos usados; • Empresas privadas e públicas com frotas de veículos; • Pessoa Física. Com todo o exposto, pode-se perceber que a atividade de funilaria e pintura tem sempre uma boa demanda. Porém, é aconselhável a realização de uma pesquisa de mercado na sua localidade, para que seja avaliado o tamanho da procura por esse serviço e quem são os concorrentes, como eles trabalham e que preços praticam. Conhecer a concorrência local é fundamental.